O principal sintoma da catarata é a visão embaçada, como se a pessoa estivesse olhando por um vidro opaco, e essa doença atinge 28,7% dos brasileiros com mais de 60 anos, segundo o IBGE. Ela causa a opacificação do cristalino, lente natural do olho que contribui com a focalização da imagem. O tratamento mais efetivo, que restaura a qualidade da visão, é a cirurgia.

Dados do Ministério da Saúde revelam que no Brasil são realizadas mais de 450 mil cirurgias de catarata por ano. Neste procedimento, uma lente intraocular é colocada no lugar do cristalino, devolvendo a qualidade da visão ao paciente. “Temos visto um aumento dos casos de catarata, uma vez que a população tem tido uma expectativa de vida mais alta, ou seja, com o envelhecimento da população, mais casos surgem. Além disso, pode ter outras causas, como uso de medicamentos como o corticoide, trauma, exposição prolongada à radiação ultravioleta, outras doenças oculares ou mesmo já estar presente no nascimento”, explica o oftalmologista Dr. Ronaldo H. Nami.

E hoje, com o avanço das tecnologias, já é possível oferecer outras soluções ao paciente junto da cirurgia de catarata, com a diminuição do grau e até mesmo a independência dos óculos. “Para os pacientes que usam óculos e precisam fazer a cirurgia de catarata, temos algumas lentes intraoculares disponíveis no mercado que restabelecem a visão prejudicada pelo cristalino opaco ao mesmo tempo em que corrigem graus de miopia, astigmatismo e hipermetropia, por exemplo. É claro que cada caso deve ser avaliado pelo especialista, para ver se há indicação, mas essa é uma possibilidade que já existe e que está à disposição em Catanduva, inclusive”, destaca o especialista.

Grupo de risco é acima de 60 anos

Grupo de risco é acima de 60 anos

Entre aqueles acima de 65 anos que fizeram a cirurgia, houve uma queda de 60% no índice de mortalidade no período avaliado por pesquisadores em um estudo da Universidade da Califórnia, que concluiu que a cirurgia de catarata amplia a expectativa de vida. “Ao enxergar melhor, cai o risco de quedas e acidentes que é bastante comum nessa faixa etária. Além disso, ainda segundo o estudo, aqueles que realizaram a cirurgia tinham também menos chances de desenvolver outras doenças”, completa.

Portanto, caso esteja com algum problema de visão ou já tenha diagnosticado a catarata, procure um oftalmologista para saber mais sobre a cirurgia.